29 dezembro 2006

Mil e uma vezes

"Tempo e espaço são formas com as quais pensamos
e não condições nas quais vivemos."
Albert Einstein (1879-1955)



Mil e uma vezes os nossos passos atravessarão essa ponde antiga e muda. Mil e uma vezes olharemos as águas, lá em baixo, correndo imperturbáveis. E os anos passarão como se fossem reais e os nossos esqueletos, imperceptivelmente, crescerão jovens e de velhos minguarão, sempre, em silêncio, cumprindo os ininterruptos calendários como se estes fossem reais. Mil e uma vezes os nossos passos, automáticos, se encaminharão para o outro lado da ponte através das brumas matutinas que, como sempre, se desvanecerão. E os amanhãs despontarão na certeza das nossas consciências como se fossem reais. Mil e uma vezes pensaremos alcançar a margem e sempre haverá mais passos para dar. A ponte, pateticamente real, sacode-se agora ao vento frio de Dezembro.

Alice T.

4 comments:

Blogger Luisa said...

Obrigada pela visita ao nosso blog e pelos votos que lá deixaste. Retribuímos os desejos dum bom 2007.
Mais uma ponte a passar, novamente, na esperança que as brumas da madrugada se abram para o sol. Lindo este teu texto!

31/12/06 9:28 da tarde  
Anonymous jo said...

As pontes que temos de passar são inúmeras e ás vezes bem dificeis.
Bjs e bom ano

1/1/07 10:21 da tarde  
Anonymous ibis2 said...

E mais uma vez eu penso,pateticamente tambem,por certo,que devemos agarrar-nos a essa ponte ilusória mas que sustenta a nossa ideia de real,rindo.Sim rindo.
Será a nossa única benção ,entre o eterno ser e não ser.
Enquanto o tempo que paira nos confunde.
Só há dois dias em que não se pode fazer nada,eles são o ontem e o amanhã.
Entretanto ,acho-me em cima dessa ponte e espero que resista.Até que eu aprenda realmente a Rir.
Bom Ano Antimater.
Que as vossas águas não sejam turvas.

5/1/07 10:06 da tarde  
Blogger antimater said...

Cara Íbis2,
Obrigaderrimérrimo!

Um 2007 érrimo para ti!

antimater

6/1/07 12:51 da manhã  

<< Home