02 outubro 2006

Um momento infinitesimal


Muitos de nós, a quem neste presente os “trabalhos de Sísifo” incumbem, não verão sequer a pedra rolar livre no seu movimento acelerado, descendente e inútil. Apenas se irão tristemente aperceber da continuidade forçada da sua tarefa vã.
Por ali fora depois que o grave se liberta numa desenfreada descida ao seu retorno há um momento infinitesimal em que, dizem os que o presenciaram, a pedra deixa de se ver! Nesse lapso o tempo não sabe dizer onde ela está, nem para onde foi… num instante volta!
Quanto a Tânatos, apesar de Sísifo, sabemos todos que não escaparemos e muitos dizem mesmo que nunca mais regressaremos…

Alice T.

3 comments:

Anonymous Anónimo said...

Um belo apontamento.

2/10/06 11:39 da manhã  
Anonymous ibis2 said...

Para presenciá-lo,"como alguns o fizeram",só a sabedoria dos deuses,o conhecimento de todas as coisas.
Entre os dois instantes, a eternidade.
Quanto a nós , não escaparemos ao momento,é certo,mas que importa se voltamos se igualmente estivermos nalgum ínfimo instante dessa mesma eternidade?
Quem presenciar saberá.

.

3/10/06 2:58 da manhã  
Blogger antimater said...

Ibis,
Apurado desempenho interpretativo!

3/10/06 3:20 da manhã  

<< Home